segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Presidente, faltou solar no Planalto

Por Redação do Greenpeace

Lula ganhou do Greenpeace um painel para captar a energia do Sol, fonte inexplicavelmente esquecida na reforma do Palácio do Planalto.

Ativistas do Greenpeace subiram hoje a rampa do Palácio do Planalto para entregar um painel solar, esquecido durante a reforma do edifício, e uma carta ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O presente é uma lembrança para que o governo invista em energias renováveis no país e articule a aprovação do projeto de lei 630/03, conhecido como Lei de Renováveis, em tramitação no Congresso.

O assessor direto da Presidência Júlio Cézar Bersot recebeu o coordenador de campanha do Greenpeace André Amaral e prometeu que entregaria os presentes a Lula, que voltou a trabalhar hoje no local.

Durante o protesto, ativistas abriram faixas com a mensagem “Seu palácio, nosso futuro. Faltou solar na reforma do Planalto” e carregaram um painel solar rampa acima, até serem barrados pelos guardas da Presidência.

Símbolo da modernidade de Brasília, o Palácio do Planalto sofreu nos últimos 16 meses uma reforma que consumiu mais de R$ 100 milhões do dinheiro do contribuinte. Mas a modernidade do edifício se resume apenas à arquitetura. Nem um centavo da reforma foi investido em uso de energia renovável no local de trabalho do presidente da República. O Sol inclemente típico de Brasília, sentido na pele pelos ativistas e pela imprensa em peso que acompanhou a manifestação, foi mais um sinal de que a luz poderia ter sido muito bem aproveitada na construção.

Eis o que diz a carta a Lula:

Excelentíssimo presidente,

A reforma do Planalto veio em boa hora. O palácio estava mesmo precisando de obras. Quando foi construído, 50 anos atrás, ele era um ícone da modernidade e de um Brasil que vislumbrava um futuro. Essa vocação do edifício seria reafirmada de modo inequívoco se o senhor tivesse recomendado aos responsáveis pela obra a instalação de painéis solares, lembrando aos brasileiros sobre a importância dessa energia de fonte renovável, aliás a que tem o maior potencial ainda não explorado no país.

Incorporar painéis solares ao centro do Poder no país funcionaria como uma forte sinalização de que o Brasil trilhará o caminho do desenvolvimento com um olho novamente voltado para o futuro, crescendo, mas com responsabilidade ambiental. Além disso, os painéis o ajudariam a reduzir a conta de luz do Planalto. Sabemos disso por experiência própria. O Greenpeace instalou painéis solares no teto de seu escritório em São Paulo e seu gasto mensal com eletricidade caiu entre 20% e 30%.

E quando nossas instalações não estão sendo utilizadas, nos fins de semana por exemplo, a energia gerada não é desperdiçada. Ela é jogada na rede que abastece a cidade – uma pequena contribuição nossa para limpar a energia que abastece o maior centro urbano do Brasil.

O país pode dar uma lição ao mundo e ser a primeira nação que sustenta inteiramente seu crescimento econômico com energias renováveis. Não falta tanto para termos uma matriz 100% renovável. Para completar os 20% restantes, é preciso investir na energia do sol e do vento, fontes que, como a água, o país tem de sobra. É uma pena que o senhor tenha perdido a oportunidade de dar aos brasileiros e ao mundo um grande exemplo.

Mas nunca é tarde para corrigir um esquecimento. Se não no Palácio do Planalto, no Congresso, onde tramita desde o ano passado o projeto de lei 630/03, conhecido como Lei de Renováveis, que prevê incentivos para a geração renovável, de portes e fontes diversas. Aprovar essa lei ajudará a direcionar a nação para um futuro limpo, substituindo os investimentos em fontes sujas feitos nos últimos anos.

PS: Infelizmente o presente é importado. Da próxima vez esperamos que o painel solar seja produzido no Brasil.


(Envolverde/Greenpeace)

7 comentários:

  1. felipe dos santos gatinho rocha ou puxirum1 de setembro de 2010 19:40

    quem tem essa esquerda, não precisa de inimigo de classe

    ResponderExcluir
  2. O PSOL é o partido que mais bate na Ana Júlia. Em Medicilândia lançou um candidato a prefeito que tirou reles 150 votos. A prefeita do PT, Lenir Trevisan, perdeu por 110 votos. Os DEMOS que ganharam a eleição, perseguem os professores e tudo que é trabalhador. O PSOL é o maior inimigo do PT e do povo, né não?

    ResponderExcluir
  3. HUM, foi só uma reforminha de 100 milhões, pode ver que o lulalá fez um financiamento naquele programa que fizeram pra eleger a sua dilminha... PUXA VIDA... R$100.000.000,00... bem na época de eleições? tem maracutaia ai...

    ResponderExcluir
  4. Ô, rebelde sem causa, a reforma foi patrocinada pela iniciatva privada por que "pode ver que o lulalá fez um financiamento naquele programa que fizeram pra eleger a sua dilminha? Por que não se informa antes de ficar vomitando essas besteiras?

    ResponderExcluir
  5. felipe dos santos gatinho rocha ou puxirum9 de setembro de 2010 21:59

    qual partido, qual entidade (ao menos essas que conhecemos) não são censores e quadrilhas disfarsadas de defensoras da massa de manipulação e obeto de manobra?

    ResponderExcluir
  6. O "Xingu Vivo para sempre, pelo menos eu sei aue é. Abocanhou os recursos do Fundo Dema, para fazer apologia das idéias dos seus seguidores, que, antes de fazerem as perguntas já sabem as respostas. Vocês sabiam que o Fundo Dema não publica seus editais semestrais, a mais de três anos? E que os recursos foram definidos para fazer confusão frente aos projetos regionais? só não esperem que esse povo faça piquete contra TERMELÉTRICA, isso nunca. Atenção, Curadoria do Ministério Público, investigue se o fundo Dema está cumprindo suas metas institucionais,se não está havendo desvio de finalidade...

    ResponderExcluir
  7. É preciso parar com o discursso de Lula de que ou são as hidrelétricas ou serão as térmicas e nucleares (lembra o Bush depois do 11 de setembro: quem não está conosco está contra nós". Outras fontes de energia são possiveis e necessárias,porém enquanto ouver a necessidade de satisfazer as grandes empreiteiras, que financiam as campanhas políticas, não vai haver investimento em outras fontes. A construção da UHE de Belo Monstro interessa sim, as empresas eletrointensivas e ao grupo do Sarney que controla a produçao de energia no Brasil, esse por sinal uma pessoa incomum e grande aliado de Lula e Dilma. Quanto a Medicilândia o grande traidor desta história toda foi o pt que mudou de lado e apoia Belo Monte. Só pra lembrfar o estadual pt, através do Everaldo MArtins andou assediando o demo para apoiar a reeleição de Ana Júlia. No Maranhão o pt faz parte da coligação que apoia a reeleição de Roseana Sarney junto com o pmdb, ptb e os demos entre outros inimigos do povo. É preciso deixar a hipocrisia de lado e assumir que o pt se transformou em um partido da ordem capaz de fazer aliança com o próprio Judas, como bem disse Luis Inácio.
    Saudações

    ResponderExcluir