sexta-feira, 30 de março de 2012

Apoio à greve em Belo Monte

Todo apoio à greve dos trabalhadores da Usina de Belo Monte!

O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil de Belém (STICMB), filiado à Central Sindical e Popular CONLUTAS, manifesta seu total apoio à mobilização dos trabalhadores da Usina de Belo Monte, em Altamira (PA).

É inadmissível que na maior obra do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento), financiada pelo dinheiro público via BNDES, os operários sejam submetidos à situações degradantes de trabalho, com salários atrasados, impossibilidade de visitar seus familiares, comida estragada, água imprópria para consumo e sem as mínimas condições de segurança no serviço, o que tem levado a vários acidentes e mesmo mortes de companheiros em razão da ganância e da irresponsabilidade dos empreiteiros.

Exigimos que o Consórcio Construtor de Belo Monte (CCBM) e o governo federal sentem pra negociar com os trabalhadores e atendam as reivindicações já acordadas anteriormente e que não vem sendo cumpridas pela patronal. Ter o mínimo de dignidade no trabalho é direito e não favor. Além disso, é preciso impedir o assédio moral e a perseguição aos trabalhadores que se organizam e lutam por seus direitos.

Nosso sindicato tem posição contrária à construção dessa Usina, decisão essa tomada em Congresso da categoria, pois entendemos que Belo Monte é um crime ambiental e humano cujos impactos ambientais não compensam o objetivo da produção de energia que será destinada fundamentalmente para as grandes empresas do sul e sudeste do país, destruindo parte significativa da fauna, da flora e impactando negativamente o modo de vida dos povos do Xingu, sem contar os efeitos negativos sobre a população urbana de Altamira e demais municípios que já estão padecendo com a alta dos preços dos aluguéis, alimentos e crescimento da violência.

Contudo, somos a favor da manutenção dos investimentos (da ordem de R$ 30 bilhões), desde que estes sejam direcionados para um plano de obras públicas (saúde, educação, saneamento, habitação, agricultura familiar, etc.) que beneficie de fato os trabalhadores, o povo pobre e o meio-ambiente da região do Xingu, plano este que deve ser discutido e decidido democraticamente com a população.

Belém, 29/03/2012

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção e do Mobiliário de Belém – STICMB, filiado à CSP-CONLUTAS


* fotografia: Rodolfo Salm

Um comentário:

  1. felipe dos santos gatinho rocha ou puxirum1 de abril de 2012 18:02

    isto é o mesmo capitalismo que vocês alimentam na cidade, basta ter a coragem de ver seus modos de vida, por trás dessa "militância"

    ResponderExcluir