sexta-feira, 30 de abril de 2010

O que dizer sobre a Hidroelétrica de Belo Monte ?

Sonia Guajajara
Vice- coordenadora da Coiab

Um grande projeto econômico do governo que prevê a morte de milhares de pessoas, sim, porque autorizando a construção desta represa o governo está assinando um decreto coletivo de assassinato.
Não sou especialista, nem cientista para apresentar aqui números e dados sobres os prejuízos e danos que causarão a população, mas falo com a sabedoria de uma mulher indígena que vem da floresta e reconhece os valores das riquezas naturais para o nosso povo e para o mundo.
Lutar contra Belo Monte é lutar em favor da vida. Dizem que este projeto trará grandes benefícios a região e utilizam –se destes argumentos para enganar lideranças, pois sabemos que isso é uma grande mentira. Essa usina hidrelétrica servirá apenas para enriquecer um pequeno grupo de empresários, que destroem e poluem o planeta.
Por isso somos contra qualquer projeto econômico que enriqueça a poucos e mata milhões de pessoas.
Não entendemos como o governo brasileiro pode sair pelo mundo afora anunciando e pregando noticias de redução de gases de efeito estufa, se todos os seus projetos políticos de desenvolvimento são baseados em mais dinheiro para empresas poluidoras, mais desmatamento com a valorização do agronegócio e alteração do código florestal e mais consumo.
Vamos lutar com todas as forças contra a implantação desta construção, o governo já realizou o leilão e aprovou, e com este ato inicia-se uma grande guerra no Brasil, porque estamos dispostos a lutar, resistir, como sempre resistimos durante mais de 500 anos de massacre e opressão.
Estamos aqui em número reduzido de pessoas, mas falamos em nome de todos aqueles que estão lá se preparando para enfrentamento, porque a bandeira de guerra foi declarada.
O mundo precisa de pessoas que abrace a causa da preservação do planeta, e Belo Monte construído, abrirá precedentes para uma afinidade de outros empreendimentos deste porte na Amazônia e como o mundo é redondo tudo está interligado, e tudo que afetar o solo, o ar, a água afetará também os filhos da Terra, e o mundo inteiro estará em perigo.
As mudanças climáticas já não podem mais ser citadas simplesmente como uma questão de clima, mas, agressões climáticas causadas pela ganância e ignorância do homem.
O governo Lula que se dizia democrático e popular é o que mais tem violado direitos, e não somente Direitos Indígenas, mas Direitos Humanos em geral.
Não podemos permitir que este governo tenha sucessão política, porque assim, estamos permitindo a continuação do projeto que destroem o Brasil DILMA VEZ.
Pedimos a todos que abracem esta causa como uma causa própria e ajude a divulgar e denunciar a violação de Direitos, e assim, estaremos defendendo junto o planeta.
Não somos contra o desenvolvimento como disse o Ministro Edson Lobão, que vê em nós, forças demoníacas que impedem o crescimento do país, mas somos contra esse modelo de desenvolvimento, que destrói a biodiversidade, seca as águas, inundas as vidas e mata culturas.
Convido a todos, a defender a vida e salvar o planeta.


Encontro Mundial dos Povos sobre mudanças climáticas e direitos da Mãe Terra – Cochabamba – Bolívia – 19 a 23 de Abril de 2010

3 comentários:

  1. Ubirajara Mendes1 de maio de 2010 01:09

    Uma hidroelétrica que polui? Conceito inovador. Estamos voltando ao preservacionismo dos anos 70, no qual predominava a visão de que a 'natureza é um santuário intocável'? Ou vamos admitir que também somos parte dela e que podemos interferir com o meio ambiente, conservando-o? Vejo manipulação na resistência a toda e qualquer grande obra no país.

    ResponderExcluir
  2. De minha parte, o que vejo é uma profunda ignorância e desrespeito em relação aos modos de vida já integrados ao meio ambiente muito bem e covardemente ilustrada pela epítome das "forças demoníacas" empregada por um alto representante do fisiologismo mais abrangente, cínico e barato que algum dia dominou a política nacional. Apenas e tão suficientemente o fato de acompanharmos nos meios de comunicação pessoas de dignidade inatacável como Raoni e Megaron suplicando pela integridade de vida das gerações futuras de seus povos, já é motivo de absoluto constrangimento do país diante das nações que fazem do uso racional da energia um comportamento de consenso básico e irrevogável! Não há por onde sofismar: a ignorância, o preconceito, o consumismo desenfreado e o oportunismo eleitoreiro do PAC estão - com a benção do Presidente da República - covardemente ameaçando o que restou de um patrimônio cultural que tanto ainda nos pode ensinar diretamente sobre SUSTENTABILIDADE e, subsidiariamente, DIGNIDADE MORAL!

    ResponderExcluir
  3. A ignorancia é política como se pode ver na opinião do Ubirajara Mendes. Será que ele nunca ouviu falar que hidroelétricas emitem gas metano? será que a remoção de pessoas de suas terras é algo limpo? Será que entregar nossas riquezas naturais como água minérios, biodiversidade para o capital estrangeiro e ainda dizer que isso é o progresso, não é manipulação política. Ubirajara, você deveria pelo menos honrar o seu nome "SENHOR DA FLORESTA" e ter conciência de que vida não tem preço.
    Marquinho Mota

    ResponderExcluir